Uma Mulher é Uma Mulher

Nessa comédia musical dos anos 60, o cineasta francês Jean-Luc Godard se vale do talento e da irreverência de Anna Karina – sua paixão na vida real – para falar de relacionamento e da condição feminina.



Uma Mulher é Uma Mulher, do Godard, foi lançado em 1961 e chamado por ele de "um musical neorrealista". Definição perfeita para esse filme genial e divertidíssimo. E muito disso se deve ao brilho da atriz Anna Karina, que dosa perfeitamente melancolia e bom humor no papel de Ângela.


Ela interpreta uma stripper que quer ter um filho – só falta convencer seu parceiro que isso será uma boa ideia. Além do casal, participa da discussão um amigo deles, Alfred, que se dispõe a realizar o sonho da protagonista.


As cenas no apartamento são maravilhosas – como quando Emile, o namorado oficial, anda de bicicleta em torno da mesa de jantar. Ou então quando ela prepara um ovo frito na cozinha. Mas nada mais sensacional do que as brigas do casal antes de dormir, usando capas de livros para se ofenderem.


Para quem ainda tem medo ou preguiça de ver filme antigo, eu adianto: os experimentos lúdicos de Godard soam muito interessantes – os efeitos especiais, as músicas, os olhares para a câmera. Não ficam devendo nada ao Tik Tok. Vale a pena assistir.

Quer falar comigo?

© 2020 by Juliana Lopes Alquati. Created with Wix.com