Por que deixamos tantos projetos na gaveta?



Quantas vezes você já engavetou um projeto porque achou que não estava bom o suficiente? Ou porque não teve coragem de mostrar ao seu chefe? Acho que todo mundo já passou por isso um dia, uma insegurança que nos paralisa e nos impede de tirar ideias do papel.


É verdade que nem sempre nossos superiores estão abertos a nos ouvir. Ou que nossos planos – de empreendedorismo ou de projetos para a vida pessoal mesmo – envolvam um trabalho ou um orçamento além do nosso alcance. Ou que o mundo tenha sido surpreendido por uma pandemia.


Mas às vezes é a gente mesmo que se boicota e nem percebe. Que deixa para depois, que tem medo de tentar e não conseguir, que desiste antes mesmo de começar. Porque, afinal, a vida vai continuar mesmo sem essa iniciativa. Do jeito que está, mas vai continuar. Temos uma capacidade imensa de inventar desculpas quando estamos com medo.


Assisti O Anjo Exterminador, do Buñuel, durante a quarentena e fiquei pensando nessas amarras invisíveis que não nos deixam sair de onde estamos. No filme do diretor espanhol, um grupo de pessoas da alta sociedade se vê preso em uma mansão após um jantar – mas não tem nenhuma barreira física que os impeça de ir embora. Por que então aquelas pessoas ficam ali?


E a gente, o que nos prende nas mesmas ideias de sempre? O que nos impede de ir além do que já nos é conhecido? É um problema real, impossível de ser solucionado, ou uma barreira invisível criada por nós mesmos?

Na história do Buñuel, eles precisam voltar atrás para continuar de onde pararam. Claro que, antes de chegar nisso, passam por situações surreais (surrealistas, no caso – não resisti ao trocadilho) e vão abandonando aos poucos as convenções sociais (mas este já é outro assunto).


A gente não precisa chegar nisso, mas talvez também precise dar um passo para trás. É sempre bom refletir sobre onde estamos, como chegamos até aqui e, finalmente, para onde queremos ir. Quem sabe aquele projeto na sua gaveta é exatamente o que a sua empresa está precisando nesse momento?

Quer falar comigo?

© 2020 by Juliana Lopes Alquati. Created with Wix.com